Erick Mafra transmite pura confiança quando está diante das câmeras. Seu canal no YouTube – que leva seu nome – tem mais de 270 mil inscritos e ele é acompanhado por por mais de 700 mil seguidores no Instagram.

Mas quando a câmera não está ligada Erick Vinicius dos Reis Mafra, 25, aparenta ser apenas um garoto de voz suave, que passa tranquilidade. Ele é o retrato da vez nessa nova edição do Na Mira.

Fotografado por Gabriel Galvani, Erick representa alguém confiante o suficiente para transitar entre peças de vestuário consideradas femininas. Aliás a sua sexualidade virou tema de especulação na Internet, território que ele domina há algum tempo.

O rapaz ficou conhecido depois de se tornar um dos Colírios Capricho – garotos representantes da revista voltada para o universo teen. Isso quando ele nem imaginava do que se tratava a ideia.

“Eu não esperava [ser um Colírio], eu nem sabia o que era isso. Alguém colocou meu perfil dentro daquele site e quando eu vi tinha um monte de gente chegando ao meu Twitter, conversando comigo, eu não estava entendendo nada.”

Mesmo assim, Erick curtiu a ideia quando pôde aliar sua imagem ao seu gosto pela escrita e viu crescer sua base de leitores. Responsável por alguns blogs na época, o influencer também já é autor de dois livros de literatura infanto-juvenil: “O Garoto do Sonho” e “Siga O Coração: O Guia do Amor Infinito”.

“Mas depois foi tomando uma proporção catastrófica”, ele confessa. Nesse momento, apesar da sua aura de sonhador, ele demonstra ter os dois pés firmes no chão.

“Eu não gosto da palavra famoso. Tipo ‘Ai você é famoso’. Calma, eu acho que sou uma pessoa conhecida e muito querida em vários lugares em que eu vou. Mas o que eu senti quando eu vi que era conhecido foi muito legal. Eu sempre fui muito sozinho na escola, então quando as coisas começaram a acontecer na Internet eu senti que tinha vários amigos. Aonde eu vou, principalmente aqui em São Paulo, as pessoas vêm e me abraçam, é algo que eu gosto muito.”

Apesar do rótulo de influenciador, Mafra admite que nunca planejou ser um formador de opinião. Ele trabalha com Internet há dez anos e viu o setor se transformar, seus pares ganharem força com o YouTube e muitas pessoas surgindo com a intenção de se tornarem influenciadoras digitais. Sua real intenção nesse meio? Contar histórias.

“Eu quero ter muitos livros, várias histórias. Eu quero que os meus personagens se espalhem e a Internet é uma ferramenta pra isso. Onde eu for entrando eu quero contar histórias, é uma certeza que eu tenho.”

Escritor, ele confessa que o mundo e o comportamento das pessoas ao seu redor são suas fontes inspiradoras. “O Garoto Do Sonho” traz no protagonista a missão de levar amor à um momento em que a esperança parecia estar em falta. Já com “Siga O Coração” ele propôs que as pessoas olhassem dentro de si e seguissem sua intuição.

“Eu não quero escrever uma história por escrever, eu quero construir, ajudar no processo de autoconhecimento, que é meu também.”

E claro que já estamos super curiosos quanto as novas histórias que Erick têm para contar. Seu terceiro livro já está em fase de produção e ele adiantou que vai retratar relacionamentos, mas só pôde nos deixar querendo mais já que podemos nos surpreender com a narrativa.

“Eu não gosto de criar expectativa porque envolve um processo criativo que vai se moldando, mas ele é mais dark. É um livro mais triste, mais deep, mas sempre para levar pra luz, óbvio.”

Portanto, seus personagens carregam muito dele mesmo. Aliás, a imagem de Erick foi construída por anos atrelada a figuras de unicórnio, representações de bondade, que refletem um forte aspecto seu, de alguém que propõe levar mais amor por onde passa. Porém, como ele mesmo explica, tudo tem dois lados.

“Todos os livros têm muito de mim. Só que no primeiro as pessoas acham que eu sou o garoto do sonho, que vivo num mundo perfeito. Não. Eu escrevi a partir da visão de uma menina toda problemática. Eu sou a menina problemática.”

Hoje, ele mesmo diz, que sente a necessidade de mostrar seu lado mais sombrio, que grande parte do seu público ainda não conhece. Seu Instagram conta com mais de 2000 publicações, ainda assim Erick tem diversos poemas e textos que abordam a tristeza e nunca foram publicados. Em breve, ele deve abrir mão de alguns filtros para mostrar um lado mais vulnerável. Mas não se engane, ele também se orgulha do seu lado doce que todos já conhecemos.

“Eu nunca vou deixar de ser autêntico, de ser quem eu sou. Nem todo mundo é só luz. Todo mundo é luz e sombras e eu quero abraçar minhas sombras de uma forma aberta. Sozinho eu já fiz muito isso. Eu acho que as pessoas estão prontas para receber esse meu lado mais dark.”

Confira outras imagens exclusivas do Erick Mafra no Instagram @febrenamira.

Febre Na Mira/Gabriel Galvani

NA MIRA – FEBRE TEEN: ERICK MAFRA

Fotografia: Gabriel Galvani (@gabrielggalvani)

Produção: Cauê Lopes e Talita Alencar (@kauemoody e @taaalencar)

Imagens e Vídeo: Karen César e Laura Ferre (@karencesar_ e @laurafwrre)

Stylist: Caio Gobbi (@gobbiland)

Matéria: Cíntia Luz (@ciluzlima)

Roupas: Gucci; Triton; BLuxo; Comme des Garçons; Burberry; Dolce&Gabbana; Acervo GobbiLand; Lupo; Guerreiro Jóias.